O Mundo das Ideias Corporativas

Gestao, Marketing, Tecnologia, Web 2.0 e Redes Sociais

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – AS FERRAMENTAS

Há ainda outras ferramentas que podem encurtar o relacionamento e a interatividade  com seu consumidor. Você mostra para ele (consumidor) e também para o mercado, que além de agregar valor você também expõe liderança de pensamento.

Eis algumas ferramentas:

White Papers – tipicamente discutem uma posição específica ou solução para um problema. São poderosas ferramentas de marketing usadas para ajudar os responsáveis por decisões-chave e influenciadores a justificar implementação de soluções.

Podcasts – são uma série contínua de downloads de áudio, que são muito populares como conteúdo de liderança de pensamento em alguns mercados. Algumas pessoas simplesmente preferem áudio e, se for assim com seus clientes, então um podcast de sua autoria pode ser um bom negocio.

E-books – este são cada vez mais usados por profissinais de marketing como uma forma divertida e criativa de levar informação útil aos consumidores. Trata-se basicamente de um documento PDF que identifica um problema de mercado e fornece uma solução.

Newsletters via e-mail – tem sido usadas há tanto tempo quanto o email, mas ainda conservam tremendo valor como forma de divulgar uma série regular de conteúdos de liderança de pensamento. Considere usar um tipo de diferente de newsletter via email, em que não seja focado nos produtos e serviços, mas sim em resolver os problemas do cliente uma vez por mês.

Webinars – são seminários online que podem incluir áudio, vídeo ou imagens gráficas (tipicamente em forma de slides de Power Point) e são usados com freqüência por empresas de tecnologia como briefing sobre um problema específico que a tecnologia pode solucionar.

Wikis – são iniciados na forma de conteúdo de liderança de pensamento por organizações que desejam ser percebidas como importantes players em um determinado mercado. Voce pode usar um wiki para chegar ao publico que você deseja atingir e ajudá-lo a organizar o conteúdo.

Videocontent, vodcast e vlogs – (três nomes, uma mesma mídia) são vídeos atualizados regularmente que oferecem uma oportunidade poderosa de demonstrar sua liderança de pensamento, tendo em vista maior familiaridade das pessoas com vídeo.

São essas as opções de ferramentas que considero mais importantes para o Marketing na Web 2.0.

Um bom plano, começa com um bom planejamento. Um bom planejamento, possui objetivos claros, foco e metas factíveis. Na Web 2.0 o foco é o cliente e não o produto. Relacionamento e interatividade com o consumidor é o segredo de ouro.

Entendendo seu público-alvo através da linguagem que ele fala, as ferramentas que usa e os  os hábitos de navegação, você pensa e age como ele. Você entende o que o leva a tomar determinada decisão de compra.

Com as ferramentas certas de interação, o conteúdo que gera valor e atende às expectativas de seu consumidor, você fideliza e se aproxima do seu cliente. Cumpre suas metas organizacionais, gera valor e riquezas para a empresa.

Fico por aqui com o sentimento de ter ajudado na missão de clarear seus horizontes de ação para o seu próximo plano de Marketing.

Um abraço!

Comente!

24/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – O BLOG

Um blog nada mais é do que um website muito simplificado, sem recursos de aplicativos gráficos. (Blogs)Estão ali para receber postagens e mostrá-las ao mundo. Nada de aplicações em Java, Flash… Geralmente eles já vêm com templates (ou os modelos) oferecidos pelos servidores que o hospedam. Você escolhe o template que mais se adequa ao seu estilo e voilá! é só sair “blogando”.

Quando de seu surgimento, os blogs eram tidos por muitos com uma versão online de diários, daqueles que você contava seus mais íntimos segredos ou ainda falava de seus assuntos prediletos. Com a expansão da web, os blogs ganharam um novo caráter (embora ainda haja muitos que sejam os diários de meninas com seus segredos, seus namoradinhos e suas paqueras), o de formadores de opinião.

Os blogs agora são também um veiculo do mainstream para que as organizações transmitam suas idéias para o mercado. Os leitores de blogs enxergam as informações compartilhadas por blogueiros inteligentes como uma das poucas formas de comunicação autentica. Um bom blog chama a atenção.

Revistas de negócios demonstram regularmente grande entusiasmo em relação ao modo como os blogs têm o poder de transformar seu negócio. Contudo, antes de montar o seu blog, recomenda-se que você primeiramente passe a monitorar os blogs do seu nicho de mercado e que entre na blogosfera postando comentários em alguns deles.

Qual deve ser o tema do seu blog?

A maioria dos blogueiros iniciantes tenta cobrir um campo excessivamente amplo. É melhor começar com um tema estreitamente focado e ir abrindo espaço para a expansão.  Seja autentico. As pessoas lêem blogs porque pretendem encontrar vozes honestas que falem apaixonadamente sobre algum assunto. Se você conseguir ser interessante e oferecer informação de valor, o numero de leitores crescerá.

Você também poderá dar ao seu blog um jeitão similar ao site da sua empresa, mas é recomendável que não seja idêntica. Mais recomendável, talvez, seja que não tenha qualquer semelhança, justamente para dar uma voz independente às suas opiniões.

Muito excitante e importante é a opção “Deixar um comentário” que a maioria dos blogs possui. Há gente que não prefira ter comentários feitos às suas postagens, uma vez que não só de elogios se vive uma postagem, há a duras críticas também. Mas nada mais excitante de que ler um comentário deixado por alguém em uma postagem.

Nos blogs há ferramentas que monitoram o numero de acessos, inclusive por postagens. Ou seja, é possível, com essa ferramenta, saber quais assuntos agradam mais e menos seus leitores.

Não me resta dúvida de que um espaço independente e complementar aos veículos de comunicação – como um blog – de uma organização é parte fundamental da estratégia de marketing com consumidores. Um espaço onde você permita a interatividade com consumidores e tem opiniões individualizadas (e não mais da organização, somente) e complementares aos produtos que oferece, partindo do ponto de vista de cada colaborador da empresa.

No próximo artigo falarei das demais ferramentas que fortalecerão seu Marketing online da Web 2.0.

Não perca! Comente!

22/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , | Deixe um comentário

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – O SITE

Quando estiver desenvolvendo um site focado em seus clientes e em seus processos de compra, eis alguns aspectos a considerar:

Reflita sobre a mídia predileta de seus consumidores e seus estilos de aprendizado – há pessoas que gostam de ler, outras que gostam de ouvir e pessoas que gostam de ver. Assim, em seu site, você deve ter um conteúdo apropriado desenhado especialmente para seus consumidores. Não significa que você deva ter todos os conteúdos possíveis, mas sim, que você deve ter além de textos, fotos ou vídeos para ampliar a atratividade dos textos.

Desenvolva uma personalidade para o site – quando os consumidores estiverem interagindo com o conteúdo do seu site, eles devem ter uma clara idéia do que sua empresa é. A personalidade é divertida ou brincalhona? Ou é sólida e conservadora? Um foco rigoroso na personalidade e no caráter do site surte efeito.

Fotos e imagens contam a sua historia – o conteúdo não é limitado a palavras. Fotos são poderosos conteúdos quando o visitante da pagina vê que imagens são componentes integrantes do site. Contudo, fotos genéricas e de banco de imagens, podem ter efeito negativo. Seja original!

Incluindo ferramentas interativas – qualquer coisa que envolva pessoas com o conteúdo do site proporciona uma grande oportunidade de engajar visitantes, despertar seu interesse e move-los ao longo do seu ciclo de vendas. Quizzes de perguntas, previsão do tempo, cotações do dólar, bolsa de valores…

Certifique-se de que loops e feedbacks estarão disponíveis – mecanismos diretos de feedback como botões “avalie isto”, “entre em contato”, fóruns on-line, espaço para deixar comentários, críticas e sugestão fornecem informações valiosas para o site e seus visitantes.

Ofereça caminhos para seus clientes interagirem – um fórum ou wiki em que clientes possam conversar entre si fazem muito bem para muitas empresas, como um caminho para mostrar que existe uma vibrante comunidade de pessoas usando seus produtos e serviços.

Crie conteúdo que valha a pena disseminar e que possa se tornar viral – quando o conteúdo se torna vibrante e útil, os visitantes tendem a falar deles com amigos, geralmente enviando-lhes um link. Faça com que URLs virais sejam permanentes no site.

No próximo artigo comentarei de outra ferramenta importantíssima na estratégia de Marketing da Web 2.0 – O BLOG

 

Não perca! Comente!

20/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – CRIANDO CONTEÚDO REFLEXIVO

Abaixo uma lista de técnicas para criar um conteúdo atrativo para seu consumidor expondo sua liderança de pensamento:

1)      Não escreva sobre sua empresa e seus produtos. O conteúdo de liderança de pensamento deve ser concebido para resolver os problemas dos clientes ou responder a questões e mostrar que você e sua organização são inteligentes e que, portanto, merecem ser contratados. Esse tipo de técnica de marketing não é um anuncio ou uma oferta de venda. Liderança de pensamento não é propaganda.

2)      Primeiramente defina suas metas organizacionais (já discutidas em postagem anterior). Você quer aumentar receitas? Encorajar pessoas a comprar algo?

3)      Baseado em suas metas, decida se você deseja prover o conteúdo gratuitamente e sem necessidade de registro por parte do usuário (você terá muito mais pessoas desfrutando do conteúdo, mas não saberá quem elas são), ou se você quer incluir algum tipo de mecanismo de registro (menores taxas de resposta, mas com lista de contatos).

4)      Pense como um Publisher entendendo seu publico. Considere os problemas de mercado com que seus perfis de cliente se defrontam e desenvolva tópicos para atraí-las.

5)      Escreva para seu publico. Uso exemplos e historias. Torne o texto interessante.

6)      Escolha um bom titulo que chame a atenção. Use subtítulos para descrever o que o conteúdo fornece.

7)      Promova esforço como um louco. Ofereça conteúdo de seu site com links fáceis de serem achados. Adicione um link às assinaturas dos emails de seus empregados e convença seus parceiros a também oferecerem os links.

8)      Para disseminar os efeitos do marketing viral, alerte jornalistas especializados, blogueiros, analistas, amigos, pessoas influentes,  para o fato de que o conteúdo está disponível e envie para eles um link para download.( Ter um Twitter com muitos seguidores e um software que encurte as URL, ajuda um bocado!).

O próximo artigo começará a falar sobre as ferramentas de sua estratégia de Marketing na Web 2.0. A próxima ferramenta será O SITE.

Não perca! Comente!

18/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , , , , , | 1 Comentário

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – DESENVOLVENDO CONTEÚDO

Neste passo você deve pensar como um Publisher (editor). Deve desenvolver um plano editorial para atingir seus consumidores com um conteúdo focado na mídia de sua preferência. Como primeira ação poderia criar um site rico em conteúdo organizado por perfil de cliente. Criar páginas individuais com conteúdos customizados e individualizados para cada perfil, criando links apropriados para essas páginas.

Considere que outra mídia sua empresa poderia lançar na internet para atingir consumidores que você identificou. Uma empresa de tecnologia poderia pensar em fazer um White paper detalhado visando á solução de um problema conhecido do cliente. Talvez você tenha informações suficientes para criar um e-book sobre um assunto que poderia ser de interesse de um determinado perfil de cliente. Você pode ainda desenvolver uma série de news releases dirigidos ao consumidor, tendo como tema um conjunto de demandas sobre as quais você sabe que seu publico tem interesse. Ou talvez seja a hora de começar um blog ou um podcast para chegar até eles.

Pense na criação de um plano editorial para cada perfil de cliente. Ao contrário da forma como você tenha feito isso no passado, você não estará apenas criando um volumoso folheto eletrônico sobre sua empresa. Você estará escrevendo para seus consumidores, e não para seu próprio ego.

O próximo artigo trará mais valor a este post, falarei sobre os oitos passos para se criar Conteúdos Reflexivos.

Não perca!

16/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , | Deixe um comentário

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – SEGMENTANDO CLIENTES

O segredo aqui é segmentar seus clientes em diferentes perfis de consumo e personalidade. Dar ao seu cliente uma personalidade, identificando qual o interesse específico dele em sua organização é o principal passo de seu plano de Marketing.

Veja o exemplo de uma praça de alimentação de um Shopping Center, por exemplo. Estudantes recém-saidos do colégio estão ali sentados para continuar os assuntos do colégio e gastar a tarde toda conversando, consumindo um sorvete ou milkshake. Alguns executivos levam seus laptops, aproveitam a rede wireless e entre um café e outro, finalizam seus relatórios ou apresentações a seus chefes e clientes. Outras pessoas estão ali somente para comer um lanche nalgum fast-food e continuarem suas compras. Outro grupo de pessoas está ali para comemorar algum evento da empresa em que trabalham. Outras pessoas estão consumindo suas refeições em restaurantes. Alguns jovens estão ali aguardando a próxima sessão do cinema e enquanto isso paqueram uma potencial companhia para o filme.

A linguagem de marketing para cada um dos exemplos que citei, é a mesma? Claro que NÃO!

Para cada perfil de clientes, vamos querer saber tanto quanto possível sobre esse grupo de pessoas. Quais suas metas e aspirações? O que a atrai naquele lugar? Por que aquele horário? Quais são seus problemas? Que mídias eles usam para responder a seus problemas? Que sites eles acessam? Como podemos atingi-los? Nós queremos conhecer em detalhes cada uma das coisas que são importantes para o perfil daquele consumidor. Que frases e palavras seus clientes usam? Gostam de frases curtas, descoladas ou aquelas verborrágicas?

Uma forma interessante e direta de saber como seu consumidor pensa, é ler o que eles lêem. Entrar nos sites que eles entram. Além de aprender muita coisa, você será levado a pensar como eles pensam. Outra forma tão eficaz quanto, é você perguntar diretamente a eles, fazendo pesquisas, entrevistando.

Imagine agora você em posse dessas informações! Com certeza seu marketing será muito mais eficaz. Você acaba criando não só uma biografia de seu consumidor, como também cria a empatia verdadeira com seu público-alvo. Levando você a ter a oportunidade de ver, através dos olhos de seus compradores, as circunstâncias que os orientam em seus processos de decisão. Quanto mais experiência você tiver em seu mercado, mais óbvios serão os perfis de cliente.

Portanto, você precisará ter as segmentações com um grau de detalhamento suficiente para que, quando seus consumidores encontrarem seu conteúdo na internet, digam: “Sim, isso sou eu. Essa empresa entende a mim e meus problemas, e terá, portanto, produtos que atenderão às minhas necessidades.”

O próximo artigo falará sobre o Conteúdo a ser discutido com seus consumidores.

Não perca!

14/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , , | 2 comentários

DESENVOLVENDO SEU PLANO DE MARKETING NA WEB 2.0 – DEFININDO METAS

Recentemente uma amiga comentou as dificuldades que encontrava dentro de sua empresa para alavancar vendas, uma vez que a empresa não dispõe de um plano de marketing bem definido. Ventilamos, então, a idéia de “turbinar” o site da empresa, bem como incluir um espaço que permitisse maior interatividade junto aos consumidores – o blog.

Pretendo escrever aqui uma série de artigos que possam ajudar essa minha amiga e você na elaboração de um plano de marketing que considero eficiente para atingir seus objetivos organizacionais. Citarei e comentarei sobre cada uma das ferramentas que enriquecerá sua empreitada. Por fim, incluirei alternativas que engrandeceriam ainda mais o projeto, deixando-o mais robusto.

Os artigos estarão na seguinte ordem: (1) Definindo Metas, (2) Segmentando Clientes, (3) Desenvolvendo Conteúdo, (4) Criando Conteúdo Reflexivo, (5) O site, (6) O Blog e (7) As ferramentas

DEFININDO METAS

Como estamos num ambiente ultradinâmico onde visitas a uma loja duram a intensidade de um clique, ou o tempo de digitação de outra URL no seu navegador, a forma de comunicação com seu consumidor têm que ser diferente.

Abandonemos aqui a regra dos 4P´s do Marketing.

O foco aqui tem que ser os clientes e consumidores, não mais seus produtos ou serviços. Bem, deixe-me explicar melhor: você deve primeiramente focar no seu consumidor, para daí em diante, trazer seu produto a ele. Quando falo em focar seu consumidor refiro-me a entendê-lo, conhecê-lo, saber seus hábitos de navegação na web, saber o que ele procura e finalmente, casar seus produtos e serviços com esses conhecimentos adquiridos.

O primeiro passo, antes mesmo de sair atrás de seus clientes conhecendo-os, é ter uma estratégia de marketing bem definida, com metas claras e objetivas. Alinhar os objetivos do marketing com aqueles da organização. As empresas querem o crescimento lucrativo da receita. Em empresas novas, isso geralmente significa gerar novos clientes. Entretanto, em negócios maduros, o objetivo, talvez seja manter os clientes já existentes.

Assim sentar-se com o corpo diretivo da empresa e traçar metas e objetivos, é o primeiro passo. É preciso um Norte!

Conquistar novos clientes?Fidelizar clientes? Vender mais esses produtos que aqueles? Aumentar receitas? Ampliar mercados? Pra onde? Que praças?Pra quando?

(Lembre-se: sempre trace metas claras e realizáveis! Tornar-se líder de mercado em uma semana, para uma empresa recém-criada, não é algo tão factível assim. É ousado, mas não inspira aplicabilidade)

No próximo artigo, falarei sobre a parte mais importante do plano de Marketing: a segmentação de clientes.

Não perca!

12/04/2010 Posted by | Marketing, Web 2.0 | , , , , , , | Deixe um comentário

Acerte a mão para inovar na Web 2.0

Receita para inovar em redes sociais não existe. Mas todos estão em busca do mesmo norte, ou melhor, da mesma resposta para a pergunta: como é possível ser diferente e único no meio de tamanha avalanche de plataformas de mídias sociais?

Para responder a esta questão, escutamos especialistas em inovação digital e constatamos: incluir a inovação da empresa nas mídias sociais, e não as mídias na inovação, é o melhor caminho para não errar. Isso significa ter primeiro a estratégia pronta e depois pensar como colocá-la nas redes.

O mundo ainda está começando a discutir como inovar e transformar esta tecnologia em resultado. O grande ponto das redes sociais é a troca de informações, o ponto de encontro e a conexão que a rede permite ter. Por outro lado, as empresas estão se deixando levar apenas pelo modismo e aderem as redes sem pensar no verdadeiro objetivo do negócio.

Há um case clássico da Goldcorp, centenária empresa de mineração de Ontário, Canadá, superou sua crise financeira com o projeto “Desafio Goldcorp”. Neste caso, a empresa abriu seus estudos geológicos ao público e concedeu um prêmio de US$ 575 mil para os melhores métodos e iniciativas de qualquer especialista que indicasse onde encontrar ouro nos 222 km2 de sua propriedade. O concurso rendeu a profusão de ouro e catapultou o desempenho de US$ 100 milhões para US$ 9 bilhões.

No Brasil podemos ainda destacar os casos da Dell, que começou a conversar com seus clientes e fãs em 2006 pela comunidade Direct2Dell (para usuários e fabricantes) e a Ford, que passou a direcionar uma estratégia social massivamente no Twitter. A NASA também inovou e criou um canal para que as pessoas possam seguir as imagens do robô no espaço, enquanto outras companhias também utilizam as redes para gerenciar crises, como é o caso do Walmart.

Além de ações de inovação com o mercado, as empresas também podem inovar internamente com seus colaboradores, seja por meio de uma ferramenta Wikipedia ou por outra forma de colaboração. “Uma das coisas mais críticas que as empresas fazem é bloquear as redes sociais para os colaboradores. O que precisa ser feito é usar a mídia a seu favor. Você pode contratar usando o Linkedin, usar um canal de vídeo para treinamento interno, o Twitter para governança, entre outras tantas opções’, relata Luli Radfaher, professor em Comunicação Digital da ECA-USP.

As chances de dar certo

Muitas empresas já deram tiros nos pés tentando inovar nas redes sociais. Com certeza você deve conhecer pelo menos um caso destes. Para Radfaher, da USP, o que o mundo corporativo precisa é entender o universo da Web 2.0, antes de se apropriar dele. “Usar bem as redes sociais é não mudar os fundamentos da comunicação. A empresa inteligente mantém o diálogo e tem sempre uma resposta para o cliente. Quando a empresa abre uma conta no Twitter, ela precisa ter algum serviço atrelado a ferramenta como, por exemplo, um aeroporto que pode prestar um serviço de trânsito para os passageiros. Ao invés de usar uma estratégia de guerrilha, as empresas precisam começar a tomar posse das mídias entendendo como elas funcionam, e não tentando comprar quem as usa”, enfatiza Radfaher.

Ainda na visão do professor Radfaher, para acertar a mão, a receita ainda é a mais velha do mundo: antes de falar, as empresas precisam escutar o que o cliente quer. “Isso é inovar. Os cases das empresas que mais inovaram mostram que elas tiraram o que não era útil em um produto e passaram a substituir por uma solução proposta pelo próprio usuário. Para isso, a empresa precisa ter e manter a transparência por meio de um canal que permita o diálogo”, salienta Radfaher.

Ter expertise na área em que atua e saber porque e onde a inovação deve começar é o começo para esta empreitada 2.0. Decidida esta primeira etapa, se o canal será o Orkut, Facebook, Twitter, Linkedin ou uma plataforma própria de rede social será um mero detalhe. Tenha foco no DNA da inovação e faça a Web 2.0 trabalhar a seu favor.

Os sete passos para trilhar o melhor caminho nas mídias sociais:

1- Primeiramente faça uma pesquisa: entre nas redes e veja o que estão falando de você. Procure saber qual é o seu poder de influencia nestas redes.

2- Use as redes a seu favor. Ao invés de bloquear o acesso aos funcionários.

3- Contrate usando o Linkedin.

4- Use um canal de vídeo para treinamento interno.

5- Use o Twitter para determinar a governança.

6- Analise o mercado, o ambiente e as ferramentas que você irá utilizar.

7- Descubra o que as pessoas querem da empresa.

 

Adaptado de: Katia Cecotosti, editora do HSM Online
25/02/2010

em: http://br.hsmglobal.com/notas/56508-acerte-mão-inovar-na-web-20?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_content=180310_redes_ant_4&utm_campaign=180310_redes_ant_4

25/03/2010 Posted by | Web 2.0 | , , , , , , , , | Deixe um comentário

EMPRESAS 2.0

Em todas as direções do mundo virtual para onde olhemos, ultimamente, enxergamos os números 2.0. Outrora designados para determinar o volume dos cilindros e conseqüente potencia dos automóveis, esse número (ou versão) chegou ao mundo virtual. Falam em Marketing 2.0, em alguns blogs já aparecem pastas com conteúdos exclusivos sobre Gestão 2.0, o pessoal entendido discute a tecnologia da internet 2.0. Esmiuçando um pouco mais, acreditem, já vi em uma livraria famosa um livro falando sobre o “vendedor 3.0”. Pois é, tudo leva a crer que quem é 1.0 está atrasado, ficou para trás.

Mas afinal o que vem a ser o conceito de 2.0?

Depende de por qual caminho você queira tratá-lo. Podemos tratar o conceito pelo lado da tecnologia, do hardware. Podemos também abordá-lo como um conceito de idéias. Uma terceira possibilidade de explorarmos o tema é a aplicação dessas idéias na gestão das empresas.

Sei que vai parecer que estou parafraseando certo presidente, mas qualquer semelhança é mera coincidência. Nunca antes na história da humanidade o homem teve também poder para propagar suas idéias e ser ouvido, quanto agora. Basta um computador, acesso a internet, um site ou blog para se expor grandes idéias. Sabemos que é da natureza dos homens aproximarem-se daqueles que lhe sejam mais atrativos em idéias, objetivos, opiniões e demais afinidades.

A internet computa hoje um número absurdo e crescente de websites e blogs. Já ultrapassou a casa do bilhão tem tempo. Em breve a internet chegará até os lares brasileiros pela energia elétrica. Nem é preciso dizer que em outros países isso já acontece faz tempo. Não daqui a muito tempo, quando a possibilidade de acesso atingir maiores percentuais da população mundial, a quantidade desses objetos de internet atingirá o gógol*, a quantidade numérica que nomeia o site mais acessado em toda internet. Ora, e quando essas minhas palavras se concretizarem, como a tecnologia suportará o colossal volume de informações que trafegará na internet?

A INTERNET 2.0

É aí que entra a internet 2.0. Uma nova tecnologia será necessária. Servidores de website, emails e blogs terão de trabalhar com capacidades de armazenamento ainda maiores. Os meios físicos de conexão entre backbones terão de ser mais velozes e capazes de transportar maiores volumes de informação. Supercomputadores terão de ajudar no processamento desse tráfego todo. Computadores quânticos, fibra ótica, novas engenharias, novos algoritmos, novas siglas; tudo isso será comum e necessário para fazer essa nova internet funcionar.

Toda essa nova tecnologia em hardware demandará novos profissionais: novos analistas, novos engenheiros, novos técnicos, Quando digo “novo” entenda-me “atualizado com as novas tecnologias”. Mais do que isso, demandará um novo pensamento para ordenar esse caótico tráfego.

Grandes universidades sempre estão um passo a frente na troca de informações e tecnologias do que a internet comercial que usamos. Nelas estão os berçários de novas tecnologias. Quando dão o passo seguinte numa nova empreitada tecnológica, eis que a internet comercial passa a se adaptar ao rastro tecnológico deixado pelos grandes centros de estudos. Universidades brasileiras também participam disso.

IDEIAS 2.0

As idéias ditas 2.0 são as idéias que conseguem sobreviver num ambiente deveras dinâmico desse caótico tráfego de informações. Imagine-se no centro de um tráfego intenso e caótico de idéias, propagando as suas e buscando atenção. Crês que conseguirá? Também acredito que não. Infelizmente você será somente mais uma voz no meio de tantas outras buscando pela atenção. Consegue se recordar dos antigos pregões de bolsa de valores, com aqueles corretores gritando loucamente para todos os demais tentando vender e comprar papéis? Pois é, naquele caos eles conseguiam se entender entre si, pois desenvolveram uma linguagem própria através de sinais.

E quais sinais devem ter minhas idéias 2.0?

Eis a beleza do mundo 2.0: as idéias que fazem com que um maior número de pessoas no meio do tráfego caótico pare para escutar são aquelas que trazem INOVAÇÃO. Este é o conceito-chave do mundo 2.0! Rompe-se aqui com o passado, quebra-se o paradigma do conservador. O mundo diz: queremos o novo. E como nunca antes, a tecnologia proporciona o ambiente ideal para idéias inovadoras e criativas.

web20

Sites de relacionamento, Twitter, Blogs, Microblogs, Youtube, Fóruns de discussão. Comunidades, pessoas cada vez mais unidas por idéias, ideais, objetivos e opiniões em comum postando e lendo mensagens concordantes e discordantes. Blogs, microblogs, Fóruns e Twitter, espaços para idéias serem trocadas, comentadas e seguidas. Youtube, imagens suas e de suas idéias em movimento e com áudio disponível para toda internet conhecer.

Quem sai na frente com todas essas possibilidades de comunicação? Os inovadores.

GESTAO 2.0

Numa de minhas aulas de MBA um professor, certa vez, quando perguntado por um aluno sobre quem seriam os melhores stakeholders para um projeto, não titubeou e respondeu: os clientes! Aquilo chamou-me a atenção para este tema. Obviamente que concordo com meu professor, porém fico imaginando as empresas dentro de seu conservadorismo tendo de se adaptar ao ser humano dos dias atuais: o cliente 2.0.

Empresas que hoje se aventuram a vender seus produtos na internet já entendem melhor o cliente “virtual” do que o cliente de mundo real. Em nada, empresa e clientes, se assemelham à vida real. Não há o papel do vendedor para literalmente pegar o cliente pelo braço e tentar empurrar-lhe as melhores ofertas da loja. Caso o cliente 2.0 não se interesse pelo produto de uma determinada loja, ele está a um simples clique de gastar seu dinheiro com o concorrente. Novas idéias para atrair clientes fazem-se necessárias. Um novo tipo de marketing faz-se necessário.

Não só nas relações de compra e venda uma empresa se relaciona com pessoas no mundo virtual. Há também a possibilidade de ouvir seus funcionários e clientes, através de idéias e sugestões para aprimoramento contínuo de seus produtos e serviços. Basta que a empresa crie e aceite as possibilidades para essa nova forma de relacionamento. Este é o primeiro passo. Isto é inovação em gestão. Mais importante do que inovar é criar uma cultura de inovação. E para que essa cultura de inovação apareça dentro das empresas é preciso criar as condições propícias.

É preciso liberar o fluxo contínuo de troca de idéias dentro das empresas fazendo com que as pessoas sintam-se à vontade para expor suas idéias e opiniões sem restrições e preconceitos. As empresas terão de reconhecer as sociedades virtuais como fontes de aprendizado e potencial solução de problemas;

Há empresas que caminham com passos ainda mais ousados e já permitem a co-criação e desenvolvimento de novos produtos com seus clientes. Através da customização de produtos para clientes, a empresa 2.0 consegue entender melhor sua clientela. Quem sabe com uma maior interação cliente-empresa esta não descubra novas possibilidades, novos nichos outrora não enxergados pela empresa.

Este é o mundo 2.0, o mundo das idéias inovadoras. Estaria sua empresa pronta para entrar nele?

*Gógol é o número 1 seguido de 100 zeros.

14/10/2009 Posted by | Web 2.0 | , , , | Deixe um comentário