O Mundo das Ideias Corporativas

Gestao, Marketing, Tecnologia, Web 2.0 e Redes Sociais

INSTITUCIONALIZANDO A INOVAÇÃO

Inovação, essa tem sido uma palavra constantemente repetida com um dos mantras do mundo empresarial. Para você que acompanha meu blog sabe que juntamente com Inovação, outras duas palavras também têm sido repetidas como essenciais para a sobrevivência e aceitação de marcas e empresas no mercado atual: Mídias Sociais e Sustentabilidade.

Nos dias atuais essa tríade (Inovação + Sustentabilidade + Mídias Sociais) tem sido constantemente evocada justamente por ser aquilo que o atual momento do Capitalismo tem demandado das empresas para agregar valor aos produtos e serviços e aproximar o cliente/consumidor da marca. Haja vista o darwinismo imperativo do mercado empresarial.

Ao longo do último século, o Capitalismo incitou o empreendedorismo, fazendo com que muitas boas ideias virassem modelos de negócio. Tal movimento aconteceu de forma sistêmica nos mais variados lugares, seguindo diferentes modelos de produção. O ponto comum entre os diferentes modelos de negócios era: vender muito e nos mais variados mercados e atingir a excelência operacional. Porém, a materialização de “grandes ideias” resultou no surgimento desenfreado de mais e mais empresas, acirrando cada vez mais a competição. O resultado disso é muito claro: mais opções de produtos e serviços ao consumidor.

Uma vez que determinada empresa, por exemplo, outrora líder de mercado, começa a perder market-share para a concorrência por conta de um bem ou serviço diferente aos olhos do consumidor, uma luz vermelha se acende. E é aí que a empresa se confronta com dois caminhos deveras preocupantes: continuar perdendo mercado e aceitar a falência ou começar a planejar sua reinvenção.

Descartamos o primeiro caminho, afinal ninguém quer ver anos de suor e trabalho duro fechando as portas. Encaremos, então, a reinvenção. O primeiro passo para se adequar aos dias atuais é pensar da seguinte forma: otimizar a produção para produzir em massa, atingir padrões internacionais de qualidade e reduzir custos. Talvez seja a atual fórmula de sucesso. Mas que já está ficando pra trás.

O revolucionário agora é aquele que inova criando produtos e serviços, estratégias e modelos de negócio que tragam um valor fora de série para o cliente. Principalmente por que é isso exatamente o que o cliente espera.

Mas como criar esse novo valor?

Já sugeri num artigo anterior um dos novos modelos que resolvem maravilhosamente bem esse complexo processo: a co-geração de valor.

No mundo da Administração não existem fórmulas exatas para resolver problemas complexos.  Um mesmo problema por mais complexo que seja, pode (e deve) ter diferentes excelentes respostas. Cabe a cada cultura organizacional aplicar a que melhor se identifique com seus valores. O que funciona para “A” não, necessariamente, funciona para “B”; porque “B” necessariamente é diferente de “A”. Mas há uma essência por trás de cada resposta: a Inovação – pensar e fazer diferente, só que, melhor.

No que tange ao mercado brasileiro um novo comportamento tem trazido resultados muito positivos entre as empresas de destaque: institucionalizar a Inovação. Fazer da excelência em inovação um realidade diária e instituída de forma metódica. Em outros termos, fazer da Inovação “parte do sistema”.

Para que a Inovação faça parte do sistema, é preciso romper com paradigmas antigos. Faz-se mister uma nova receita de bolo. E a nova receita diz que: a organização não se comporte mais como corpo com órgãos independentes, cada um com sua meta e objetivo em direções discrepantes. É preciso que todo o corpo diretivo e operacional de uma empresa seja ressonante com a aceitação e implementação de novas metodologias e processos de trabalho.

Processos que outrora se deixavam a cargo de consultorias terceirizadas como: Top Quality Management, a produção enxuta, o ERP ou Six Sigma, devem, agora, ser parte do DNA da empresa. Quatro componentes interdependentes devem falar a mesma língua:

Liderança e infraestrutura: líderes da empresa e organização alinhados em torno de uma abordagem comum à inovação

Pessoal e Competências: abordagem disciplinada ao cultivo de recursos de inovação e ao envolvimento de todos na organização

Processos e Ferramentas: abordagem sistêmica e instrumentos de apoio para permitir a geração de ideias e a gestão da inovação

Cultura e valores: cultura aberta e de colaboração além de incentivos que premiam aqueles que desafiam o status quo

Ao observamos o comportamento das líderes de mercado brasileiro, verificaremos que tais competências dançam a mesma música. Verificaremos que o fato dessas empresas fundirem tais competências no desenvolvimento de seus bens, produtos, serviços e modelos de negócio faz delas líderes de mercado. E isso não nos espantará.

Mas isso é assunto para o próximo artigo.

Anúncios

17/09/2010 - Posted by | Inovação | , , , , , , , ,

2 comentários »

  1. Adorei o post… Mas, me diga, esta inovação que defende a sustentabilidade é algo que veio para ficar? Ou, como boa parte do comportamento dos brasileiros, é apenas uma “modinha” do momento, que tende a passar e ser esquecida?

    Será que as empresas do nosso país teriam boas estratégias e modelos de negócios capazes de agregar valores revolucionários para os clientes? Ou seria uma recriação das tendências aplicadas no exterior… Se for, lembremos dos exemplo: “A” é diferente de “B”, apesar de seguirem um moesmo segmento. Complicado né?

    Mias uma vez, parabenizo pelo post 🙂

    Comentar por Gabriela Feitosa | 17/09/2010 | Responder

    • Ola Gabriela!

      Qta honra por mais um comment seu por aqui.

      Preciso dividir sua pergunta em dois aspectos diferentes: Inovação e Sustentabilidade.

      Inovação é algo que mantém uma empresa viva. Simplesmente pq é impossível a empresa ficar sempre com uma mesma linha de produtos e serviços. Se ela pensa assim, fica pra trás e perde mercado para a concorrência, daí a necessidade da constante inovação.

      Sustentabilidade é uma forma inovadora de trazer ao cliente mais valor no produto. Isto pq a “onda verde” assolou a mentalidade das pessoas e, consequemente, o mundo dos negócios. O cliente agora além de querer um produto de muita qualidade, quer q venha de alguém q não agrida ao meio ambiente.

      Se sustentabilidade é só uma moda? não creio, veio pra ficar!!

      Um forte abraço Gabriela! 😉

      Comentar por Danigalvao | 19/09/2010 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: